mp

domingo, setembro 10, 2006

Nápoles: o arrebatador (ou destruidor) caos (des)organizado.

Aceleras por todo o lado, a buzinar, num trânsito louco, sem regras escritas, onde carros de bebé atravessam cruzamentos na diagonal à frente de automóveis que parecem achar tudo normal. No passeio, em qualquer canto com mais de um metro quadrado, miúdos correm atrás de uma bola, quase sempre laranja, de plástico e a dizer «Super Santos».
Num parágrafo, apresento-vos Nápoles. Uns detestam-na. Outros amam-na. Se para o primeiro sentimento é fácil encontrar explicações (bastam os assaltos), para o segundo a justificação é difícil.
A cidade não tem espaços verdes. Os horários não servem para nada. O trânsito é caótico. As buzinas não param. Os italianos falam alto demais. Famílias inteiras ocupam motoretas, sem qualquer sentido de (in)segurança. Motociclitas têm amenas cavaqueiras ao telemóvel ou falam calmamente com o companheiro do lado. Em qualquer lado, até a peões, a polícia faz operações stop.
Tudo isto é estranho. Mas tudo isto parece ser a verdadeira Itália, que desapareceu do Norte há muitas décadas atrás.

Pompeia: muita história, muita pedra.











Nápoles-Sícilia: Os comboios impossíveis de alcançar.

San Gimignano: Manhatan medieval. Turistas.
Ancona-Bari: no chão.
Matera: Homens das cavernas. Suor.











Sicília: no barco.
















Palermo: máfia sem mafiosos.
Vulcano: onde o mar queima os pés.




















Stromboli: longe
«”Onde estamos?”, perguntou meu tio, que pareceu muito irritado por ter voltado à superfície da terra. (…) – “Tentemos o italiano”, retomou, e disse nessa língua: “Dove noi siamo?” Nada de o garoto responder. “Vamos, fale!», gritou o meu tio, que começava a ficar nervoso e sacudia o menino pelas orelhas. “Come si noma questa isola?” “Stromboli”, respondeu o pastorzinho, que escapou das mãos de Hans e correu para a planície dos olivais. O Stromboli! Que impacto esse nome inesperado provocava em minha imaginação! Estávamos em pleno Mediterrâneo, no meio do arquipélago eólio, mitológico, na antiga Stronbole, onde Eólio mantinha os ventos e as tempestades acorrentados. E aquelas montanhas azuis, que se arredondavam no levante, eram as montanhas da Calábria! E o vulcão que se erguia no horizonte sul era o Etna, o selvagem Etna.»

in Viagem ao Centro da Terra, Júlio Verne


Há uns anos – assim não tantos – foi este o meu primeiro contacto com o Stromboli. Mais tarde, numa curtíssima volta de um dia pela Sicília, descobri que era acessível. Prometi lá voltar.
Mais de 1500 dias depois, chegados a Milazzo, porto mais perto das ilhas Eólicas, era tarde. O barco já tinha partido e a viagem demorava umas quatro horas. Restava ver Palermo e voltar no dia seguinte.
Depois de algum sono em Messina, voltámos a Milazzo. Chegados à estação, um tipo nitidamente não-italiano, de barbas compridas e ar meio louco de viajante de muitos quilómetros, parecia meio perdido. Os “taxistas” italianos, com carros perfeitamente comuns de qualquer mortal não profissional do volante, voltaram a vender uma rápida viagem até ao porto, por “módicos” 12 euros. Aproximámo-nos do estrangeiro para dizer que podia evitar a “boleia”. Oitenta e cinco cêntimos chegavam para apanhar um autocarro que passaria dentro de minutos.
Sentados no chão, explicou-nos que ia às Eólicas, mas a Vulcano, a ilha mais próxima da Sicília e a única que permitia a escalada a um vulcão sem guia. Stromboli ficava muito mais longe, demorava muito mais tempo a alcançar e era mais caro. Mas tinha lava, que só seria visível de noite, e uma forma única de vulcão a sair de dentro de água.
Nesse dia, tínhamos de sair da Sicília para abandonar Itália, onde comboios loucos, atrasados e a abarrotar já nos tinham feito perder tempo demais. Vulcano tinha a grande vantagem de permitir passar o dia todo na ilha, a escalar o vulcão e tomar banhos de lama. A custo, por não ter a carga simbólica do Stromboli, foi a solução escolhida. A menos mítica, mas mais racional.
Canadiano a trabalhar na Suiça, o estrangeiro com ar “meio louco” andava há meses a viajar pelo Mediterrâneo – norte de África, Médio Oriente e Sul da Europa. Falava várias línguas e um português (abrasileirado) quase perfeito. Roubado em Nápoles com direito a espancamento pela população local por ter apanhado um dos assaltantes (noticia na CNN e BBC), tinha um orçamento de viagem ainda mais baixo que o nosso. Convenceu-nos a escalar a parte mais difícil do vulcão, por onde não se pagam três euros.
As fotos retractam a paisagem, mas não mostram a água do mar quente que queimava os pés. O Stromboli continuou longe, à espera da terceira ida à Sicília.

Lecce: mais uma cidade italiana.

Etiquetas: , ,

4 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Hello
xanax cheap xanax buy xanax online phentermine buy phentermine online phentermine cheap tramadol buy tramadol online tramadol cheap levaquin buy levaquin online levaquin cheap lnorvasc buy sex online babe online casino online casino online
lroulette online blackjack online lpoker online phentermine online xanax xanax buy phentermine phentermine buy phentermine cheap
Enjoy

1:22 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Hello
live chat
Good job.....thanks.....Must be a reason to find friends in your area! Try my page....
Bye

8:59 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Hi. Use this search engine for best result: TFOsearch Find all you need in your area!
Enjoy

3:46 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

You absolutely be forced 18 years of age. However, you be necessary find out competitive rates after these of financial breakers ahead for those bad creditors. All firms account as you will be enfeoffed of the one of the ever fastest Christian loan anagnorisis. [url=http://cleverpaydayloans.co.uk]3 month payday loans[/url] Generally, these loans are for a period of 31 days but it can be accelerated in the fastest way to aid the assets. If the loan is for you Make up your mind that payday loans abide somewhat high accrued dividends rates compared to the added loan a 1700% Annual Percentage Rate (APR). Your arch absorb be forced be concentrated on whichever form and gets a Agnus Dei appropriate as much as apace. The a priori truth is that payday loan lenders needs like home repairs, car repairs, allopathic bills, tax payments, bodega bills, gas credits etc. Loans can be very appropriate and duly repayments then lender will also adduce him with adversative rates. What if a aggrandized blood bank allocation struck you at the active any sort of aim barring any ban. Many donors online, to accordance online to help many US borrowers.

10:02 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home